Integração da Salesforce.com para aumentar os negócios

Um dos primeiros pioneiros da computação em nuvem e do software como serviço (SaaS), os populares produtos de CRM da Salesforce.com são amplamente utilizados para gerenciar e facilitar vendas, serviços de suporte e outras interações com os clientes. No entanto, os valiosos dados empresariais se acumulam rapidamente em um "silo de nuvem" sem uma estratégia eficaz de integração da Salesforce a aplicativos legados de CRM, soluções de ERP e bancos de dados de back-end.

Para que os produtos da Salesforce.com realmente agreguem valor de negócios à empresa, a integração é essencial. Além disso, com a mudança crescente para as arquiteturas híbridas , as soluções de integração devem conseguir conectar a Salesforce.com perfeitamente a outros aplicativos de SaaS e a sistemas legados on-premises.

Neste artigo, nós analisaremos algumas abordagens para integrar a Salesforce.com à empresa.

Codificação personalizada

Quando os aplicativos de SaaS se tornaram populares, muitas vezes, a integração de aplicativos era tratada como uma consideração tardia. Com poucas ferramentas de integração de SaaS disponíveis, as empresas recorriam à codificação manual personalizada pelas equipes internas de TI para conectar a Salesforce.com aos aplicativos e sistemas legados.

A vantagem de uma abordagem de DIY desse tipo é que as integrações são adaptadas a casos de uso específicos, com desenvolvedores escrevendo conectores personalizados usando a API da Salesforce.com. Por exemplo, é possível utilizar soluções de codificação manual para sincronizar os dados entre a Salesforce.com e os bancos de dados que residem on-premises ou para criar combinações que usam integração NetSuite ou Workday. 

No entanto, a codificação manual tem várias desvantagens:

  • É cara e demorada. Os desenvolvedores internos podem acabar perdendo muito tempo escrevendo códigos personalizados para um projeto de integração da Salesforce.com. Isso significa que outros projetos de TI recebem menos atenção e os orçamentos podem aumentar bastante, especialmente se houver o envolvimento de consultores externos.
  • Requer conhecimentos técnicos. Como as integrações com codificação manual exigem habilidades especializadas, os analistas de negócios devem contar com os desenvolvedores para criar integrações do zero para poder alinhar os sistemas de TI com sucesso aos processos de negócios. Os códigos de erro e a manutenção geral também exigem o envolvimento de profissionais de TI altamente qualificados, o que reduz os tempos de implementação.
  • Não é bem dimensionada. A codificação manual pode fazer sentido para arquiteturas simples quando é necessário integrar apenas dois ou três sistemas, mas essas arquiteturas provavelmente crescerão e evoluirão conforme as necessidades de negócios mudarem. A aquisição de um novo sistema ou um novo aplicativo de SaaS significa que será necessário fazer mais codificação manual para conectar essas adições à Salesforce.com e entre si de modo ponto a ponto. Em longo prazo, isso é insustentável para empresas de grande crescimento.
  • Contribui para a volatilidade do sistema. Como a manutenção e as atualizações dos aplicativos de SaaS geralmente são processadas pelo prestador de serviços, as integrações com codificação manual podem parar de funcionar corretamente à medida que novas versões da Salesforce.com são implementadas. Isso pode causar erros do sistema, interrompendo as atividades de negócios essenciais que dependem de integrações em tempo real.

Fazendo a integração às ferramentas da Salesforce.com

A Salesforce.com oferece soluções de integração de provedores de integração terceirizados, além de uma plataforma de aplicativos como serviço (aPaaS) baseada em nuvem chamada de Force.com. À primeira vista, essas ferramentas parecem uma alternativa viável à codificação manual, mas elas também têm várias desvantagens.

Por meio do AppExchange, a Salesforce.com oferece várias integrações e aplicativos de empresas parceiras criados previamente. Essas soluções prontas para uso podem reduzir o tempo e os recursos financeiros necessários para a codificação manual, mas podem ser difíceis de modificar e personalizar devido à sua natureza fixa e à falta de visibilidade e de recursos de monitoramento.

A plataforma Force.com permite que os desenvolvedores criem novos aplicativos e integrem a Salesforce.com aos aplicativos existentes usando as APIs da plataforma. Como Force.com é uma aPaaS voltada ao desenvolvimento de novos aplicativos, isso significa que a integração é um recurso, mas não o principal uso da plataforma. Além disso, embora a plataforma facilite a ampliação e a personalização dos aplicativos da Salesforce.com para os usuários existentes, ela resulta em restrição a um só fornecedor e impede que os usuários façam integrações livremente entre diferentes sistemas e plataformas. 

CloudHub: integração para a era da nuvem

As limitações das ferramentas existentes de integração de SaaS trilharam o caminho para que o CloudHub, uma plataforma de integração como serviço (iPaaS) baseada em nuvem, surgisse como a solução de integração mais usada na era da nuvem. Com uma biblioteca de Anypoint™ Connectors, o CloudHub facilita a integração à Salesforce.com por meio de configuração (não de codificação), além de outras ofertas de SaaS, serviços em nuvem, plataformas de mídia social e aplicativos on-premises.

O CloudHub inclui outros recursos que o diferenciam de outras soluções de integração:

  • Apps de integração: Apps de integração são integrações compactadas criadas e compartilhadas por meio do CloudHub. Eles permitem que os desenvolvedores escrevam integrações personalizadas da Salesforce.com para casos de uso específicos que, depois, são tornadas acessíveis para usuários não técnicos. Em outras palavras, o CloudHub é simples o bastante para ser utilizado por analistas de negócios, com integrações e ferramentas de arrastar e soltar criadas previamente, mas também é aberto e flexível o suficiente para que os desenvolvedores modifiquem e personalizem integrações. Como o CloudHub oferece conectores testados e confiáveis, as empresas não precisam se preocupar com a manutenção e as atualizações exigidas por integrações ponto a ponto personalizadas.
  • Secure Data Gateway: o gateway seguro de dados do CloudHub permite que os desenvolvedores integrem e orquestrem aplicativos em Salesforce.com com sistemas legados on-premises de modo simples e seguro sem codificação personalizada. Isso elimina o "silo de nuvem" criado pela implementação da Salesforce.com e de outros aplicativos de SaaS.
  • Monitoramento e visibilidade: as soluções existentes de integração de SaaS não têm recursos avançados de monitoramento e gerenciamento. O CloudHub acompanha um portal de gerenciamento baseado em navegador que permite que os usuários monitorem o tempo de atividade e o desempenho com profunda visibilidade sobre fluxos, mensagens e outros serviços.
  • Plataforma aberta: o CloudHub permite que os usuários migrem aplicativos e sistemas facilmente com os padrões abertos, o que permite que você integre todos os elementos: SaaS, aplicativos empresariais, plataformas de mídia social e muito mais. Ao contrário das plataformas oferecidas pelos fornecedores de SaaS, o CloudHub não é vinculado a um aplicativo específico de SaaS, o que permite a criação de integrações que fazem muito mais do que apenas ampliar a Salesforce.com.
  • Recursos de nuvem: como uma plataforma baseada em nuvem, o CloudHub inclui recursos clássicos de nuvem como hospedagem múltipla para isolamento e segurança empresariais, flexibilidade e escalabilidade, provisionamento de autoatendimento e um modelo econômico de precificação conforme o crescimento.